Excessos são mais prejudiciais do que as faltas